Club de Curitiba
Cinquentenário

Durante Feijoada Solidária, Rotary Club Curitiba Oeste oferece dicas para jovens intercambistas

Em agosto, o Rotary Club de Curitiba Oeste promoveu uma Feijoada Solidária, com o objetivo de arrecadar fundos para o programa de intercâmbio Jovem Destaque. O evento aconteceu na sede do Distrito e, além do almoço, contou com um bingo — que distribuiu mais de 30 prêmios —, vendas de doces da Associação de Senhoras de Rotarianos de Curitiba e com apresentações oferecendo dicas e orientações para futuros jovens intercambistas.   Leia também: Programa de Intercâmbio de Jovens divulga relação de candidatos a Intercâmbio de Longa Duração   Oportunidade de realizar um sonho Patrocinada pelo clube Curitiba Oeste, Beatriz Bernardes é uma das intercambistas na modalidade Jovem Destaque, do programa de intercâmbio de longa-duração. Criada há 12 anos no Distrito 4730, a modalidade seleciona jovens com bom desempenho escolar — que tenham estudado a vida toda em escola pública ou com bolsa integral — , perfil de liderança, engajamento com atividades de voluntariado e responsabilidade social, entre outras características, para fazer um intercâmbio patrocinado por um clube do Distrito. “Vai ser bom para o crescimento, para o currículo dela”, comenta Zileide Bernardes, mãe da intercambista. Cuidadora infantil e com uma imensa paixão por cozinhar, Zileide comandou voluntariamente a cozinha durante a Feijoada Solidária. “Trabalhei como voluntária na arrecadação para ajudar a patrocinar o intercâmbio no México da Beatriz. Fico feliz porque ela está realizando um sonho, é uma oportunidade que eu não tive e que muitos jovens não têm”, conta Zileide.   Mudança de realidade Durante a série de apresentações com dicas aos futuros intercambistas, Caroline Alvez — ex-intercambista Jovem Destaque também no México — descreveu como o período em que participou do programa ajudou a mudar sua realidade e consolidar sonhos. “Aprendi que, apesar da minha realidade muito decepcionante e muito difícil, os meus sonhos valiam a pena. Se eu me afincasse, estudasse e me preparasse, [os sonhos] iam acontecer, minha realidade ia mudar”, explica. Caroline também conta que, como intercambista e por carregar traços físicos diferentes dos habitantes da região — por exemplo, o cabelo cacheado —, passou por algumas dificuldades durante o intercâmbio, mas que isso “ensinou valores que a vida demoraria anos para ensinar”. “Lá, apesar de todas as dificuldades, eu consegui fundar um Rotaract Club — e era o primeiro Rotaract da história do estado inteiro. Ganhei um prêmio de melhor intercambista no Distrito e isso mostrou que o peso da minha experiência e de quem me tornei, tinham um valor muito grande”, relata.   “Se você se esforçar um pouquinho todo dia, o intercâmbio vai ser extraordinário. Levem um diário, folhas vazias, em branco, e registrem todas as coisas que acontecem. Eu vejo a importância das pequenas coisas. Estejam dispostos a terem os olhos abertos para as pequenas coisas.” — Caroline Alvez, ex-intercambista Jovem Destaque do Distrito 4730   Alvez ainda aproveitou o intercâmbio para adquirir conhecimentos nas áreas de literatura e artes, escrevendo uma tese sobre literatura russa e conquistando uma bolsa para estudar violino, ambos sonhos que a acompanhavam desde o Brasil. Segundo Roberto Karam, mediador das apresentações para os intercambistas, ir com uma vocação em mente possibilita maior aproveitamento e aprendizado durante o período de intercâmbio. “Quando tem uma vocação mais ou menos definida, isso facilita o caminho. Pensem no que podem acrescentar com o apoio das pessoas que conhecerão, no que vocês vão trazer de lá [quando voltarem]”, explica Karam.   Lugares que nunca pensou conhecer Uma das dicas oferecidas pela ex-intercambista Beatriz Natividade foi considerar a escolha de um país que nunca pensou em conhecer. Segundo Natividade, a quebra de expectativa pode expandir a perspectiva de outros países. “Sempre pensei em ir para Europa, até que um dia me perguntaram para qual país eu jamais tinha pensado em ir. Respondi Japão, então me disseram: ‘é para lá que você deve ir’ — e agora vejo que estavam certos”, conta.   “Eu fui para um país que jamais tinha pensado em ir e eu o amo agora” — Beatriz Natividade, ex intercambista do Distrito 4730   Anne Cortez também experienciou a quebra de expectativa na escolha de países e agradece pela experiência de intercâmbio que viveu no México. “[A princípio] eu queria Taiwan. Só que no dia da escolha, a última vaga de Taiwan terminou antes da minha vez. Mas quando subi no palco e escolhi México, naquele momento tudo mudou, porque o méxico me abraçou com tudo”, relata. Cortez explica que, no começo, passou por algumas dificuldades, principalmente por ser a primeira vez que viajou sem a família. Nos primeiros meses, apesar de se adaptar ao local e adorar a família anfitriã, Anne conta que ainda não tinha se “entregado totalmente ao intercâmbio”. “Por muito tempo, deixei de experimentar comidas e essa é uma das essências do México, não tem como não se jogar na cultura. Vocês precisam estar dispostos a mudar”, afirma.   “Independente de onde você vai ou de como vai, [o intercâmbio] vai ser uma experiência incrível.” — Anne Cortez, ex-intercambista do Distrito 4730 Idioma e amigos Para a ex-intercambista Luiza Saddi — que viajou para a Rússia — , algo essencial durante o intercâmbio é não ficar apegado ao inglês ou qualquer outro idioma que não o do país de destino. Saddi explicou que falar o idioma local não é o objetivo do intercâmbio cultural, mas é uma das suas consequências principais. “A linguagem é o que reúne as pessoas no mundo, então aprender o idioma é como você se encaixa, é o que te ajuda a entender o país e as pessoas. Hoje em dia, não sou fluente [em russo], mas aprendi o bastante para entender e ser compreendida”, defendeu. Beatriz Natividade também considera o idioma um dos aspectos principais do intercâmbio. Durante a estadia no Japão, Beatriz teve dificuldade inicialmente em se comunicar com outros estudantes e famílias anfitriãs por não dominar o japonês. “Só haviam três intercambistas na minha escola. No começo, os estudantes foram muito receptivos, mas como eu não falava praticamente nada de japonês e eles não falavam quase nada de inglês, a comunicação era muito difícil e aos poucos eles perderam o interesse, então eu precisava ir até eles”, relatou. Luiza Saddi explicou que é importante criar laços de amizade, mesmo com as dificuldades de comunicação. Criar amigos no local em que está fazendo intercâmbio ajuda não só a praticar aos poucos o idioma, conhecer e entender melhor a cultura do país, como a tornar a própria estadia no país mais fácil. “Às vezes é difícil, as pessoas não querem se abrir para você porque você é estrangeiro ou porque não estão interessadas. Mas você precisa ir até lá e dizer ‘hey, sou um estudante intercambista, posso me sentar aqui?’. E você senta com eles, começa a praticar, escutar o idioma e vai mostrar a eles que está interessado”, orientou.   “Mostre a eles que está interessado, não em ‘roubar os trabalhos deles’ ou ‘superpopular o país’, mas sim porque você os acha interessantes. Isso vai tornar tudo mais fácil” — Luiza Saddi, ex-intercambista do Distrito 4730   Cada experiência é única Finalizando as apresentações e dicas para os futuros intercambistas, Luiza Saddi orientou que, acima de tudo, os jovens devem evitar comparar as experiências de intercâmbio com a de outros colegas e conhecidos. “Eu escolhi ir para a Rússia. Escolhi sabendo que não teria a companhia de um grupo grande de intercambistas e que haveriam dificuldades de locomoção. Eu era a única brasileira, não tinha amigos no início e o inverno era tremendamente frio. Comecei a comparar com pessoas que conhecia que estavam em outros países e pareciam estar mais felizes, e me perguntar ‘por quê eu escolhi isso?’”, relatou. Luiza explicou que passar por estas comparações fez com que ela deixasse de aproveitar o intercâmbio até o momento em que entendeu novamente porque escolheu a Rússia como destino. “Havia uma festividade em comemoração a Revolução e relembrei como a Rússia mantém a história viva. E é assim, você vai passar por este processo muitas e muitas vezes: você vai se decepcionar, aí algo acontece e você ganha sua energia de novo”, descreveu.   “Durante a viagem é ótimo, mas, quando você volta, é como se você tivesse mudado, só que o mundo ao seu redor não. E isso é bom, porque você vai ser a pessoa que foi para a Alemanha, a pessoa que foi para Taiwan e a pessoa que foi para Rússia. Você volta com esperança do que vai ser. Quando voltei, tinha novos planos, comecei uma universidade, entrei em grupos Rotaract e tinha planos de como conseguir empregos. Então vocês precisam ter em mente que existe vida após o intercâmbio.” — Luiza Saddi, ex-intercambista do Distrito 4730     Por: Laís Adriana Fotos por: Laís Adriana

Postado em 23 de Setembro de 2019

Programa de Intercâmbio de Jovens divulga relação de candidatos a Intercâmbio de Longa Duração

 O Programa de Intercâmbio de Jovens (PIJ) do Distrito 4730 publicou a relação dos candidatos inscritos no processo seletivo da modalidade Longa Duração. Ao todo, são 68 inscritos na categoria Regular e nove na categoria Jovem Destaque.   Veja a lista de candidatos inscritos: Relação Candidatos - Processo Seletivo PIJ Longa Duração 2019-20.pdf Leia também: Durante Feijoada Solidária, Rotary Club Curitiba Oeste oferece dicas para jovens intercambistas    O comunicado também informa que o Teste de Conhecimentos será realizado em 28 de setembro, às 14 horas, na Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP). A dinâmica de grupo irá acontecer no dia seguinte, 29 de setembro, às 09 horas, na sede do Distrito 4730.   Confira o edital na íntegra: Comunicado - Candidatos Inscritos no Processo Seletivo Intercâmbio de Longa Duração 2019-20.pdf Leia também: Intercâmbio de Longa Duração Regular e Jovem Destaque abre inscrições   “A Comissão do Programa de Intercâmbio de Jovens - Longa Duração, deseja boa sorte à todos os candidatos.” - Programa de Intercâmbio de Jovens do Distrito 4730   Teste de Conhecimentos | Intercâmbio de Longa Duração | Distrito 4730 Local: Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP) — Rua Dr. Faivre, 141 - Centro, Curitiba - PR; Data: sábado, 28 de setembro de 2019; Horário: 14 horas.   Dinâmica de Grupo | Intercâmbio de Longa Duração | Distrito 4730 Local: Sede do Distrito 4730 — Fundação da Unidade Rotária (FUR) — Rua Coronel Adyr Guimarães, 288 - Ahú, Curitiba - PR; Data: domingo, 29 de setembro de 2019; Horário: 09 horas.

Postado em 23 de Setembro de 2019

Intercâmbio da Amizade abre vagas com destino à Rússia

O Distrito 4730 liberou hoje (19) as inscrições para o 1º Intercâmbio Rotário da Amizade do ano 2019-20. Em parceria com o Distrito 2223, o intercâmbio irá acontecer de 15 a 30 de janeiro de 2020 e têm como destino a cidade de Yekaterinburg, na Rússia. Para participar, uma das demandas será receber associados do Distrito 2223 — também intercambistas rotários da amizade — durante 15 dias, em abril de 2020. As vagas são limitadas a dez participantes. Interessados em realizar o intercâmbio devem enviar a ficha de inscrição preenchida para a Chair Christianne Lunardelli Salomon, pelo e-mail chrissalomon@terra.com.br. O prazo para inscrição vai até o dia 20 de outubro.   Yekaterinburg Fundada em 1723 por Vassili Tatischev e Georg Wilhelm de Gennin, Ecaterimburgo se tornou um dos primeiros centros industriais da Rússia, por conta dos seguidos decretos que incentivaram o desenvolvimento de siderúrgicas na região. A cidade foi construída usando uma grande quantidade de aço. Os comércios e zonas residenciais passaram a ser cercados com muralhas fortificadas, para que Ecaterimburgo fosse, ao mesmo tempo, um centro da manufatura e uma fronteira entre Europa e Ásia.  Com o crescimento do comércio e a importância administrativa da cidade, a siderurgia tornou-se menos relevante e os prédios de maior prestígio passaram a ter a pedra como principal material, resultando no crescimento das pequenas manufaturas. Em 1871, a czarina Catarina, a Grande, elevou a cidade à condição de centro administrativo da região, aumentando as reservas de militares e burocratas na cidade. Após o início da Revolução de Outubro, em 1918, o czar Nicolau II, a czarina Alexandra Feodorovna, as princesas Olga, Tatiana, Maria, Anastásia e o czarevitch Alexei Romanov foram executados pelos bolcheviques na Casa Ipatiev, localizada em Ecaterimburgo. No dia seguinte, os demais membros da família Romanov foram executados em Alapaievsk. Em 1977, a Casa foi demolida por ordem do então governador da região, Bóris Iéltsin — que viria a se tornar presidente russo. O objetivo era evitar que peregrinos e monarquistas usassem do local como um ponto de encontro.  Após o triunfo da revolução e a morte de um de seus principais arquitetos, Iákov Sverdlov, a cidade foi renomeada para Sverdlovsk, em 1924. Nessa época, a cidade foi um dos focos do governo soviético para o desenvolvimento da indústria pesada, o que levou à construção do complexo industrial de maquinaria pesada, o Uralmash. Durante a Segunda Guerra Mundial, várias instituições técnicas e indústrias foram trazidas das regiões afetadas pelos conflitos — como Moscou — para Sverdlovsk, forçando a cidade à produtividade máxima. Com o término do conflito, muitas das indústrias continuaram na cidade. Na década de 1960, a cidade passou pela política habitacional de Nikita Khrushchov, que foi responsável pela construção maciça de apartamentos muito semelhantes. Em 1960, um avião espião americano, pilotado por Francis Gary Powers sob vigilância da CIA, foi abatido na região de Sverdlovsk. Capturado, o espião foi sentenciado a sete anos de trabalhos forçados, mas acabou por servir apenas um, já que foi trocado por Rudolf Abel, um espião do KGB de alto nível, que fora preso nos EUA em 1957.   Intercâmbio Rotário da Amizade 2019-20 | Distrito 4730 & Distrito 2223 | Rússia Destino: Yekaterinburg, Distrito 2223, Rússia; Data: 15 a 30 de janeiro de 2020; Prazo para inscrição: até dia 20 de outubro de 2019; Ficha de inscrição: Ficha - Intercâmbio da Amizade - Rússia.pdf; Maiores informações: Chair Christianne Lunardelli Salomon | E-mail:  chrissalomon@terra.com.br | Celular: (41) 98819-0006

Postado em 19 de Setembro de 2019

Distrito 4730 divulga edital regulamentando concorrência a recursos do Fundo Distrital

A Comissão Distrital da Fundação Rotária comunicou que estão abertas as inscrições de pedidos para Projetos de Subsídio Distrital com recursos do Fundo Distrital de Utilização Controlada (FDUC). Serão disponibilizados até 500 dólares rotários por projeto. Para concorrer, os Rotary Clubs do Distrito 4730 precisam estar na lista de classificação publicada pela comissão.   Confira na íntegra o edital divulgado pela Fundação Rotária: Edital de Concorrência a Recursos do Fundo Distrital de Utilização Controlada.pdf   Cada clube pode apresentar apenas um projeto — individual ou em parceria com outros clubes — dentro dos requisitos de: estar em pelo menos uma das áreas de enfoque da Fundação Rotária; e ser apresentado sob responsabilidade do Rotary Club — mesmo que a atuação pertença a Rotaract Clubs, Interact Clubs, Rotex (Associação Alumni) e/ou Casas da Amizade (Associação dos Cônjuges de Rotarianos).  A Fundação Rotária irá distribuir cerca de 24 mil dólares entre 56 projetos selecionados por uma comissão julgadora de acordo com a classificação, eliminando os de menor pontuação. Caso ainda tenha recursos disponíveis, estes serão distribuídos proporcionalmente aos valores aprovados para os projetos classificados. As inscrições dos projetos devem ser realizadas pelos Rotary Clubs até 08 de outubro, no site do Distrito 4730.   Cronograma dos Subsídios Distritais 03/09/2019 a 08/10/2019 — Período para inserção dos pedidos de Subsídios Distritais (projetos) no sistema do Distrito 4730;  29/10/2019 — Conclusão de análise pela Comissão Distrital da Fundação Rotária e divulgação dos Pedidos de Subsídio Distrital aprovados. 29/04/2020 — Data limite para a prestação de contas do projeto concluído, no sistema do Distrito: preenchendo o relatório final, inserindo notas fiscais (em nome da instituição) e fotos da entrega do(s) bens(s) ou produtos(s) e declaração de recebimento firmada pelo representante legal da instituição beneficiada.    Dúvidas ou mais informações, entrar em contato com: Cláudia Maria da Natividade | E-mail: claudiamnatividade@gmail.com | Celular: (41) 99121-4458 Laerzio Chiesorin Junior | E-mail: laerzio@outlook.com | Celular: (41) 98458-0427.

Postado em 04 de Setembro de 2019

Fundação Rotária do Distrito 4730 anuncia clubes aptos a solicitar subsídios

A Comissão da Fundação Rotária do Distrito 4730 informou hoje (02) os clubes qualificados para solicitar subsídios junto à instituição. Os requisitos para a classificação foram: participar de um dos Seminários da Fundação Rotária; entregar assinado o Memorando de Entendimento (MDE) do clube até 09 de agosto; e estar em dia com as obrigações financeiras no Rotary International, na Revista Brasil Rotary e no Distrito 4730 até o dia 31 de agosto. Ao todo, 54 Rotary Clubs conquistaram a qualificação.   Confira o comunicado com a lista de clubes habilitados na íntegra: Clubes Qualificados 2019-20.pdf   A partir do dia 03 de setembro, o edital que regulamenta a solicitação de Subsídios Distritais estará disponível no site do Distrito.    Dúvidas ou mais informações, entrar em contato com: Cláudia Maria da Natividade | E-mail: claudiamnatividade@gmail.com | Celular: (41) 99121-4458 Laerzio Chiesorin Junior | E-mail: laerzio@outlook.com | Celular: (41) 98458-0427.

Postado em 02 de Setembro de 2019

Distrito 4730 promove o projeto "Empreender é o Futuro" em Paranaguá.

Ingresso solidário será destinado para ações sociais da juventude do Rotary. Paranaguá será palco do evento “Empreender é o Futuro”, que será realizado no dia 14 de setembro, sábado, às 18h00, no SESC de Paranaguá. O objetivo do encontro é trazer empreendedores de sucesso, para compartilharem suas histórias e dicas sobre como começar e administrar os próprios nos negócios. Pela primeira vez no Litoral do estado, será a terceira edição do projeto, que é promovida pelo Distrito 4730 do Rotary e Rotaract – organização que reúne voluntários no litoral, Curitiba e Região Metropolitana e Campos Gerais do Paraná. No ano de 2018, outras edições foram realizadas em Curitiba e em Ponta Grossa. Os convidados para o encontro em Paranaguá são Samuel Toaldo com a palestra "A Verdadeira Startup" – ele é empresário, fundador do aplicativo “Goleiro de Aluguel”, ferramenta que contribui para o complemento de renda de milhares de brasileiros - e Kauana Vissotto com a palestra "Criatividade e Intuição: O Futuro Além dos Negócios" – ela é empresária, fundadora do Condor Connect & Projeto Jovem Empresário e do Labiie (Laboratório de Inovação em Inteligência Empreendedora), além de autora de obras sobre empreendedorismo e inteligência financeira. As inscrições podem ser feitas pelo site www.rotary4730.org.br/empreender. O investimento é de R$ 40,00, no ingresso inteiro, e R$ 20,00 para meia entrada, além de 1 Kg de alimento em ambas as modalidades. Para universitários, haverá certificação de horas complementares. A renda do evento será destinada para projetos sociais do Rotaract, grupo do Rotary que reúne jovens voluntários entre 18 e 30 anos. Serviço:O que: Empreender é o Futuro.Quando: 14 de setembro, às 18h.Onde: SESC Paranaguá - Rua Domingos Peneda, 947 - Estradinha, Paranaguá.Quanto: R$ 40,00 + 01 Kg de alimento (inteira)R$ 20,00 + 01 kg de alimento (meia entrada)Contato: 9-9980-3179 (Alex Vizine) Saiba mais sobre os convidados: Samuel Toaldo: é empresário, técnico em informática, estudou Física na Universidade Federal do Paraná e criou o aplicativo Goleiro de Aluguel. Participou da série game show Shark Tank Brasil, recebendo investimento de João Appolinário (Polishop) e Carlos Wizard (Wise Up, Mundo Verde, Pizza Hut e Topper). Atualmente seu aplicativo impacta milhares de brasileiros, proporcionando complemento de renda através do futebol. Kauana Vissotto: administradora com especialização em Marketing pela FAE Business School, é empresária, Founder do Condor Connect & Projeto Jovem Empresário e do Labiie (Laboratório De Inovação Em Inteligência Empreendedora). Co-founder da Comunidade Empreendedora e da Eu sou a minha empresa. Professora formada pela UFPR, foi autora dos livros "Abrindo o seu próprio negócio" e "Educação financeira nas escolas: uma abordagem participativa", uma parceria entre o Ministério da Educação, Prefeituras e a Universidade. Mentora em empreendedorismo e inovação para mais de 40 startups, é considerada a Top 3 do PR.

Postado em 31 de Agosto de 2019

Ver todos

Durante Feijoada Solidária, Rotary Club Curitiba Oeste oferece dicas para jovens intercambistas

Em agosto, o Rotary Club de Curitiba Oeste promoveu uma Feijoada Solidária, com o objetivo de arrecadar fundos para o programa de intercâmbio Jovem Destaque. O evento aconteceu na sede do Distrito e, além do almoço, contou com um bingo — que distribuiu mais de 30 prêmios —, vendas de doces da Associação de Senhoras de Rotarianos de Curitiba e com apresentações oferecendo dicas e orientações para futuros jovens intercambistas.   Leia também: Programa de Intercâmbio de Jovens divulga relação de candidatos a Intercâmbio de Longa Duração   Oportunidade de realizar um sonho Patrocinada pelo clube Curitiba Oeste, Beatriz Bernardes é uma das intercambistas na modalidade Jovem Destaque, do programa de intercâmbio de longa-duração. Criada há 12 anos no Distrito 4730, a modalidade seleciona jovens com bom desempenho escolar — que tenham estudado a vida toda em escola pública ou com bolsa integral — , perfil de liderança, engajamento com atividades de voluntariado e responsabilidade social, entre outras características, para fazer um intercâmbio patrocinado por um clube do Distrito. “Vai ser bom para o crescimento, para o currículo dela”, comenta Zileide Bernardes, mãe da intercambista. Cuidadora infantil e com uma imensa paixão por cozinhar, Zileide comandou voluntariamente a cozinha durante a Feijoada Solidária. “Trabalhei como voluntária na arrecadação para ajudar a patrocinar o intercâmbio no México da Beatriz. Fico feliz porque ela está realizando um sonho, é uma oportunidade que eu não tive e que muitos jovens não têm”, conta Zileide.   Mudança de realidade Durante a série de apresentações com dicas aos futuros intercambistas, Caroline Alvez — ex-intercambista Jovem Destaque também no México — descreveu como o período em que participou do programa ajudou a mudar sua realidade e consolidar sonhos. “Aprendi que, apesar da minha realidade muito decepcionante e muito difícil, os meus sonhos valiam a pena. Se eu me afincasse, estudasse e me preparasse, [os sonhos] iam acontecer, minha realidade ia mudar”, explica. Caroline também conta que, como intercambista e por carregar traços físicos diferentes dos habitantes da região — por exemplo, o cabelo cacheado —, passou por algumas dificuldades durante o intercâmbio, mas que isso “ensinou valores que a vida demoraria anos para ensinar”. “Lá, apesar de todas as dificuldades, eu consegui fundar um Rotaract Club — e era o primeiro Rotaract da história do estado inteiro. Ganhei um prêmio de melhor intercambista no Distrito e isso mostrou que o peso da minha experiência e de quem me tornei, tinham um valor muito grande”, relata.   “Se você se esforçar um pouquinho todo dia, o intercâmbio vai ser extraordinário. Levem um diário, folhas vazias, em branco, e registrem todas as coisas que acontecem. Eu vejo a importância das pequenas coisas. Estejam dispostos a terem os olhos abertos para as pequenas coisas.” — Caroline Alvez, ex-intercambista Jovem Destaque do Distrito 4730   Alvez ainda aproveitou o intercâmbio para adquirir conhecimentos nas áreas de literatura e artes, escrevendo uma tese sobre literatura russa e conquistando uma bolsa para estudar violino, ambos sonhos que a acompanhavam desde o Brasil. Segundo Roberto Karam, mediador das apresentações para os intercambistas, ir com uma vocação em mente possibilita maior aproveitamento e aprendizado durante o período de intercâmbio. “Quando tem uma vocação mais ou menos definida, isso facilita o caminho. Pensem no que podem acrescentar com o apoio das pessoas que conhecerão, no que vocês vão trazer de lá [quando voltarem]”, explica Karam.   Lugares que nunca pensou conhecer Uma das dicas oferecidas pela ex-intercambista Beatriz Natividade foi considerar a escolha de um país que nunca pensou em conhecer. Segundo Natividade, a quebra de expectativa pode expandir a perspectiva de outros países. “Sempre pensei em ir para Europa, até que um dia me perguntaram para qual país eu jamais tinha pensado em ir. Respondi Japão, então me disseram: ‘é para lá que você deve ir’ — e agora vejo que estavam certos”, conta.   “Eu fui para um país que jamais tinha pensado em ir e eu o amo agora” — Beatriz Natividade, ex intercambista do Distrito 4730   Anne Cortez também experienciou a quebra de expectativa na escolha de países e agradece pela experiência de intercâmbio que viveu no México. “[A princípio] eu queria Taiwan. Só que no dia da escolha, a última vaga de Taiwan terminou antes da minha vez. Mas quando subi no palco e escolhi México, naquele momento tudo mudou, porque o méxico me abraçou com tudo”, relata. Cortez explica que, no começo, passou por algumas dificuldades, principalmente por ser a primeira vez que viajou sem a família. Nos primeiros meses, apesar de se adaptar ao local e adorar a família anfitriã, Anne conta que ainda não tinha se “entregado totalmente ao intercâmbio”. “Por muito tempo, deixei de experimentar comidas e essa é uma das essências do México, não tem como não se jogar na cultura. Vocês precisam estar dispostos a mudar”, afirma.   “Independente de onde você vai ou de como vai, [o intercâmbio] vai ser uma experiência incrível.” — Anne Cortez, ex-intercambista do Distrito 4730 Idioma e amigos Para a ex-intercambista Luiza Saddi — que viajou para a Rússia — , algo essencial durante o intercâmbio é não ficar apegado ao inglês ou qualquer outro idioma que não o do país de destino. Saddi explicou que falar o idioma local não é o objetivo do intercâmbio cultural, mas é uma das suas consequências principais. “A linguagem é o que reúne as pessoas no mundo, então aprender o idioma é como você se encaixa, é o que te ajuda a entender o país e as pessoas. Hoje em dia, não sou fluente [em russo], mas aprendi o bastante para entender e ser compreendida”, defendeu. Beatriz Natividade também considera o idioma um dos aspectos principais do intercâmbio. Durante a estadia no Japão, Beatriz teve dificuldade inicialmente em se comunicar com outros estudantes e famílias anfitriãs por não dominar o japonês. “Só haviam três intercambistas na minha escola. No começo, os estudantes foram muito receptivos, mas como eu não falava praticamente nada de japonês e eles não falavam quase nada de inglês, a comunicação era muito difícil e aos poucos eles perderam o interesse, então eu precisava ir até eles”, relatou. Luiza Saddi explicou que é importante criar laços de amizade, mesmo com as dificuldades de comunicação. Criar amigos no local em que está fazendo intercâmbio ajuda não só a praticar aos poucos o idioma, conhecer e entender melhor a cultura do país, como a tornar a própria estadia no país mais fácil. “Às vezes é difícil, as pessoas não querem se abrir para você porque você é estrangeiro ou porque não estão interessadas. Mas você precisa ir até lá e dizer ‘hey, sou um estudante intercambista, posso me sentar aqui?’. E você senta com eles, começa a praticar, escutar o idioma e vai mostrar a eles que está interessado”, orientou.   “Mostre a eles que está interessado, não em ‘roubar os trabalhos deles’ ou ‘superpopular o país’, mas sim porque você os acha interessantes. Isso vai tornar tudo mais fácil” — Luiza Saddi, ex-intercambista do Distrito 4730   Cada experiência é única Finalizando as apresentações e dicas para os futuros intercambistas, Luiza Saddi orientou que, acima de tudo, os jovens devem evitar comparar as experiências de intercâmbio com a de outros colegas e conhecidos. “Eu escolhi ir para a Rússia. Escolhi sabendo que não teria a companhia de um grupo grande de intercambistas e que haveriam dificuldades de locomoção. Eu era a única brasileira, não tinha amigos no início e o inverno era tremendamente frio. Comecei a comparar com pessoas que conhecia que estavam em outros países e pareciam estar mais felizes, e me perguntar ‘por quê eu escolhi isso?’”, relatou. Luiza explicou que passar por estas comparações fez com que ela deixasse de aproveitar o intercâmbio até o momento em que entendeu novamente porque escolheu a Rússia como destino. “Havia uma festividade em comemoração a Revolução e relembrei como a Rússia mantém a história viva. E é assim, você vai passar por este processo muitas e muitas vezes: você vai se decepcionar, aí algo acontece e você ganha sua energia de novo”, descreveu.   “Durante a viagem é ótimo, mas, quando você volta, é como se você tivesse mudado, só que o mundo ao seu redor não. E isso é bom, porque você vai ser a pessoa que foi para a Alemanha, a pessoa que foi para Taiwan e a pessoa que foi para Rússia. Você volta com esperança do que vai ser. Quando voltei, tinha novos planos, comecei uma universidade, entrei em grupos Rotaract e tinha planos de como conseguir empregos. Então vocês precisam ter em mente que existe vida após o intercâmbio.” — Luiza Saddi, ex-intercambista do Distrito 4730     Por: Laís Adriana Fotos por: Laís Adriana

Em 23/09/2019

Programa de Intercâmbio de Jovens divulga relação de candidatos a Intercâmbio de Longa Duração

 O Programa de Intercâmbio de Jovens (PIJ) do Distrito 4730 publicou a relação dos candidatos inscritos no processo seletivo da modalidade Longa Duração. Ao todo, são 68 inscritos na categoria Regular e nove na categoria Jovem Destaque.   Veja a lista de candidatos inscritos: Relação Candidatos - Processo Seletivo PIJ Longa Duração 2019-20.pdf Leia também: Durante Feijoada Solidária, Rotary Club Curitiba Oeste oferece dicas para jovens intercambistas    O comunicado também informa que o Teste de Conhecimentos será realizado em 28 de setembro, às 14 horas, na Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP). A dinâmica de grupo irá acontecer no dia seguinte, 29 de setembro, às 09 horas, na sede do Distrito 4730.   Confira o edital na íntegra: Comunicado - Candidatos Inscritos no Processo Seletivo Intercâmbio de Longa Duração 2019-20.pdf Leia também: Intercâmbio de Longa Duração Regular e Jovem Destaque abre inscrições   “A Comissão do Programa de Intercâmbio de Jovens - Longa Duração, deseja boa sorte à todos os candidatos.” - Programa de Intercâmbio de Jovens do Distrito 4730   Teste de Conhecimentos | Intercâmbio de Longa Duração | Distrito 4730 Local: Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP) — Rua Dr. Faivre, 141 - Centro, Curitiba - PR; Data: sábado, 28 de setembro de 2019; Horário: 14 horas.   Dinâmica de Grupo | Intercâmbio de Longa Duração | Distrito 4730 Local: Sede do Distrito 4730 — Fundação da Unidade Rotária (FUR) — Rua Coronel Adyr Guimarães, 288 - Ahú, Curitiba - PR; Data: domingo, 29 de setembro de 2019; Horário: 09 horas.

Em 23/09/2019

Lancamnto do Projeto AGUAS SEGURAS - Prevenção de afogamentos em Araucária

Baseado em dados do ano de 2018, Araucária ocupou a triste liderança estadual em afogamentos de crianças, jovens e adultos. Os afogamentos aconteceram em diversos lugares tais como: cavas, rios, represas, piscina e em baldes de água. Para tirarmos nosso município desta trágica liderança, a Polícia Militar do Estado do Paraná através da iniciativa de bravos militares do Corpo de Bombeiros de Araucária e da Guarda Municipal, nasceu a ideia de ministrar PALESTRAS e distribuir material educativo na comunidade, colégios, associações e instituições sobre a conscientização das6 MEDIDAS DE SEGURANÇA que podem PREVENIR os afogamentos. O Projeto trabalhará na conscientização e distribuição de informação, ensinando crianças, jovens e adultos a ficarem alerta nos locais de risco e estarem prontos para identificar possíveis sinais de afogamento e prontos para procedimentos de alertas.   O lançamento será dia 07/10/2019

Em 22/09/2019 por Rotary Club de Araucária

Palestra A Penologia do Bullying dia 21/OUT no RCA

Estaremos no Rotary Club de Araucária fazendo uma palestra sobre o Livro "A Penologia do Bullying" no dia 21/OUTUBRO às 20hs - Rua Luois Becue, 242 em Araucária - PR Este livro tem como objetivo discutir, a luz do direito qual é a punição que se mostra eficaz e que contribui para a mudança de comportamento hostil de alunos que praticam Intimidação Sistemática (Bullying) nas escolas. Com esse objetivo o autor procurou, por meio de pesquisa bibliográfica e pesquisa quali-quantitativa, responder à pergunta suscitada, contando com a participação de 42 educadores (Rede Estadual, Municipal e Particular) e de 120 alunos de 5º ao 8º anos, respectivamente, da Rede Municipal da maior cidade do Estado de Santa Catarina, Joinville. Tanto a pesquisa destinada aos alunos quanto a destinada aos educadores, foi criada através da ferramenta “Google Formulários”. Um livro instigante e ao mesmo tempo nos leva a fazer reflexões sobre uma temática tão presente no cotidiano de crianças e adolescentes. Charles Adriano Fernandes  

Em 22/09/2019 por Rotary Club de Araucária

Reuniões | 20:00
Rua Cel. Adyr Guimarães, 288 - Ahú,288 Cep: 82200-510